top of page

Cerimônia de Premiação - 3º Concurso Trovas Cidade de Curitiba


A União Brasileira de Trovadores Seção Curitiba, realizou na quinta-feira, dia 11 de agosto de 2022, no auditório Paul Garfunkel da Biblioteca Pública do Paraná, Cerimônia de Premiação do 3º Concurso de Trovas Cidade de Curitiba. O evento foi prestigiado por representantes de diversas entidades culturais, da Capital, interior e dos estados de São Paulo e Santa Catarina; contou ainda com a presença e participação do Ilustríssimo Diretor Geral da Biblioteca Pública do Paraná, Luiz Felipe Leprevost. Foram momentos de alegria e poesia.

Abaixo as palavras de abertura da presidente da Seção Curitiba, Andréa Motta, bem como o link de acesso ao registro realizado por Arriete Rangel de Abreu.


Palavras de Abertura:

Ilustríssimo Sr. Luiz Felipe Leprevost, digníssimo Diretor Geral da Biblioteca Pública do Paraná; demais autoridades presentes anteriormente nominadas, senhoras, senhores e queridos estudantes.


A União Brasileira de Trovadores Seção Curitiba, hoje celebra os classificados em seu certame cultural mas não só, também damos início às comemorações dos 56 anos de Fundação da entidade, ocorrido em 10 de setembro de 1966.


Neste ano de 2022, a cerimônia de premiação ocorre num contexto conturbado, ainda vivemos restrições sanitárias oriundas da Covid 19 e o país passa mais uma vez por uma crise econômica. Em meio a essa avalanche estamos nós percorrendo um caminho íngreme, para viabilizarmos a realização desta cerimônia. Não conseguimos nenhum apoio financeiro/patrocínio, assim aproveito para agradecer a ajuda financeira recebida de nossos associados, à Coordenação de Literatura da Fundação Cultural de Curitiba, pela doação de Kits surpresa para os 1ºs colocados em cada âmbito e categoria, a cessão pelo premiadíssimo fotógrafo Daniel Castellano de uso de fotografia de sua autoria no livreto do concurso, a cessão deste auditório pelo Sr. Luiz Fernando Leprevost, apoio estes que permitiram a realização desta Festa. Também, aproveito para agradecer aos trovadores que compuseram as diversas comissões julgadoras pelo minucioso e importante, trabalho voluntário desenvolvido em prol da trova e da UBT.


Acima de todas as dificuldades, a UBT-Curitiba representa, para mim, um imenso jardim cujas flores são a aprendizagem e o ensino. É, sem dúvida, com grande honra e alegria que me vejo hoje, entre vocês - adultos e jovens de grande merecimento e talento.


Não há dúvida, que o trabalho com uma linguagem viva e dinâmica, aproxima as crianças, adolescentes e adultos, dos sentidos que esta tem nas suas vidas, uma vez que o saber se difunde de mãos em mãos, transforma e transmite felicidade. Conforme dizia Cora Coralina: “Feliz aquele que transmite o saber e aprende o que ensina.”


A trova, arte das palavras, possibilita a conquista de uma nova realidade, na medida em que pode viabilizar a maior participação de todos os envolvidos na formação de leitores e, principalmente na formação de cidadãos críticos, conscientes de sua condição social.


A partir do exercício da trova, é possível que todos refletiam sobre seu papel enquanto sujeito transformador e responsável pela construção de uma nova sociedade.


Os textos produzidos retratam sonhos, conflitos sociais, ideologias, anseios, apontando muitas vezes, saídas que devem ser valorizadas. É exatamente isto o que vemos aqui: as trovas produzidas para o 3º Concurso de Trovas Cidade de Curitiba, que homenageia os Cem anos da Semana de Arte Moderna de 1922, cujos temas foram: Vanguarda (para o âmbito Nacional), Rompimento (para Novos Trovadores), Identidade (no âmbito Estadual) e Colorido (para os Estudantes do Ensino Fundamental e Médio), traduzem além de uma carga emocional muito grande, a consciência de sua condição social. Retratam a realidade de seus cotidianos, indignação e o sonho de uma vida melhor. Isto acontece porque “toda pessoa sempre é marca das lições diárias de outras tantas pessoas”, tal qual retratado na canção “Caminhos do Coração”, de Gonzaguinha.


Meus amigos, queridos estudantes sem emoção não há criação. E, entre as mais diferentes emoções que a poesia traduz, a que mais seduz, a mais recompensadora para o verdadeiro aprendizado é a que está no coração e no olhar enternecido de cada um aqui presente.


Dirijo-me agora especialmente aos estudantes.


Lembrem-se, leiam e estudem sempre, a cultura é imprescindível para a sua liberdade e para o seu crescimento humano, emocional e social.

Agradecemos a presença de todos. A festa não teria sentido sem vocês. Esperamos tê-los sempre conosco, para que juntos possamos continuar a missão de transmitir emoção, por meio das palavras que juntas formam a mensagem de amor e respeito. (Andréa Motta )




108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page